terça-feira, 18 de maio de 2010

chove chuva


"Aí, começou a chover. parecíamos duas crianças, pisando nas poças d'água, correndo e brincando entre os carros. Naquele dia senti você sinceramente meu (devo reconhecer que em tantos anos, isso aconteceu pouquíssimas vezes). Hoje aquelas poças tão amigas parecem ter se transformado em um grande rio. Um rio que corta, atravessa, divide as fases das nossas vidas em dois. Toda essa água parece ter afogado você em um orgulho bobo e sem sentido. Orgulhoso demais para atravessar o rio quando ainda te dava pé, e agora, orgulhoso demais até para sobreviver frente a correnteza que te leva cada vez mais para longe. Falta coragem meu amigo, seu orgulho foi posto do lado errado da curva desse rio"

2 comentários:

disse...

voce viveu isso mais de uma vez??

Carol disse...

acho que todas as vezes que vivemos algo mesmo que em pensamento, vivemos o fato mais de uma vez, não acha? Pode não ter acontecido nesse plano, mas em qualquer outra frequencia energética... vivemos tudo repetidamente, e as vezes também infinitamente...